Os curiosos rituais e cerimônias fúnebres pelo mundo

Conheça os rituais e cerimônias fúnebres mais incomuns e diferentes que você possa imaginar.

É fato que as diferentes culturas, crenças, religiões e afins, influenciam fortemente em como são realizados as cerimônias e rituais fúnebres por diferentes parte do mundo.

Mas, algumas se sobressaem por serem consideradas além de curiosas também incomuns, e pensando nisso, vamos nos aprofundar em diversas cerimônias pra lá de diferentes. 

Alguns possuem diversos protocolos, outros são momentos de profunda tristeza e lamento, mas mesmo tão diferentes, ainda existem uma ligação entre eles, o fato de serem únicos.

E tudo isso se deve principalmente pelas diversas maneiras que os povos lidam com a morte, além somente de se tratar de religião e crenças, a forma em que diferentes culturas se despedem de seus entes queridos é muito mais do que apenas um momento final.

Indonésia

Mesmo sendo totalmente contra regras de saúde sanitária, algumas tribos habitantes do país asiático tem o costume de manter o falecido na residência por meses ou até mesmo anos.

Além disso, o falecido segue sendo tratado como uma pessoa normal, sendo alimentado, luzes ligadas no cômodo onde estiver e tudo mais. 

Quando chega o momento em que a família realiza o sepultamento, não se trata de um momento triste e sim uma festa que pode durar não somente um dia, mas por toda semana.

Papua Nova-Guiné 

Uma das tradições mais assustadoras e incomum vem do país africano, a tribo Dani tem o costume de após o falecimento de homens, as mulher que tinha parentesco com o mesmo deviam amputar os dos dedos da mão como forma de respeito ao falecido.

Filipinas

Mais um país asiático que possui rituais fúnebres pra lá de diferentes, um deles é a tradição de que os falecidos tenham seus caixões pendurados em penhascos, em sua maioria presos por cordas e correntes.

Sendo realizada na maioria pela tribo Igorot, acreditam que a alma precisa de lugares que trazem paz e tranquilidade para que possam descansar por toda eternidade.

Além disso, ainda há a crença de que ao colocarem os caixões pendurados nos penhascos, será uma forma de facilitar o caminho dos espíritos em direção ao Deus Kanubian (Deus local).

Ainda nas Filipinas, a tribo Apayo tem o costume de que os falecidos sejam enterrados por baixo da cozinha das casas familiares.

Tibete

Por si só, essa região já abriga diversas curiosidades e fatos marcantes por toda sua história, localizada ao norte do Himalaia é uma região autônoma da China.

Mas, um de seus fatos marcantes é a forma como alguns povos proporcionam a despedida de seus entes falecidos.

Em especial os que são da religião budista, ao ocorrer um falecimento, destrincham o corpo do morto em alguns pedaços e os colocam no alto de montanhas, de forma que os pássaros por lá possam se alimentar.

Isso se deve por acreditarem que o corpo é apenas algo vazio após a morte e realizam esses “enterros” como forma de caridade e amor aos animais, por pensarem que é apenas um pedaço de carne.

Antiga Pérsia

Mesmo hoje sendo uma religião hoje com poucos adeptos, o Zoroastrismo em sua história já possuiu diversos seguidores de suas crenças e costumes.

É um dos fatos mais marcantes dessa religião, era a forma em que realizavam as despedidas finais ao falecimento de seus seguidores.

Por acreditarem que o corpo se torna impuro três dias após o falecimento, por conta de perder o espírito, eles não deixavam que o mesmo tivesse contato com a natureza.

Sendo assim, construíam as Torres do Silêncio (Dakhmas), que eram construções de pedra com o objetivo de ali deixar os corpos dos falecidos para que abutres e outros animais o devorasse.

Nova Orleans

Um dos funerais que consegue atingir o equilíbrio perfeito entre a tristeza e alegria é o que ocorre em Nova Orleans, sendo “comandado” por uma banda de Jazz e muito barulhento.

Originado a partir da mistura entre as tradições africanas e francesas, o funeral se dá com a banda de Jazz conduzindo os familiares e amigos do falecido inicialmente tocando músicas tristes e após o sepultamento, muda completamente e começam canções alegres e danças.

É importante lembrar que alguns desses rituais fúnebres são poucos usuais hoje em dia ou foram até mesmo extintos.

Mas ainda sim são importantes fatos que marcam a diferença de crenças, valores e religiões por todo o mundo e mostram que a morte pode ser interpretada e sentida de diversas maneiras.